REDE DE PROTEÇÃO E CONSERVAÇÃO DA SERRA DO AMOLAR

16/08/2018

 

A Rede de Proteção e Conservação da Serra do Amolar (RPCSA ou Rede do Amolar) surge a partir da parceria entre IHP, Instituto Acaia Pantanal, Fazenda Santa Tereza, Fundação Ecotrópica e Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense/Instituto Chico Medes e Policia Militar Ambiental, como uma parceria entre organizações proprietárias de terras destinadas a ações conservacionistas e sócio educativas ao longo do eixo do Rio Paraguai, nos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Com uma área de 276.000 hectares, sendo que 201.000 hectares legalmente protegidos, a Rede do Amolar engloba áreas classificadas pelo Ministério do Meio Ambiente como áreas prioritárias para a conservação da biodiversidade e sua importância é classificada como “extremamente alta”.  No Pantanal, Rede do Amolar, sob gestão do IHP, representa hoje, a principal instituição de conservação, criando articulações incorporadas à conservação, de forma a maximizar os meios e otimizar os recursos financeiros, técnicos e logísticos em prol da conservação do Pantanal. Além de parceiro membro, o IHP atua como gestor da RPCSA e como articulador político-institucional junto aos poderes municipal, estadual e federal.

A Rede é uma parceria dos três setores da sociedade para atuar de forma integrada na proteção e conservação da região da Serra do Amolar.  É assim que as organizações pretendem atingir resultados expressivos com mais eficiência e eficácia, agindo juntamente com o poder público e com a população local residente na região. O objetivo maior é proteger e conservar a biodiversidade da região, aumentando a área de proteção em torno do Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense. Com a otimização de recursos financeiros, técnicos e logísticos, a Rede busca:

  • Identificar e implementar ações que contribuam diretamente para efetivar a proteção das áreas.
  • Assegurar a presença do Estado na região em ações possíveis por meio da parceria público-privada.
  • Promover a integração harmônica entre conservação e desenvolvimento humano.
  • Garantir a proteção e o conhecimento da biodiversidade por meio de estudos científicos.

Resultados das ações desenvolvidas pela RPCSA:

  • Contribuição para treinamento e formação de profissionais (geografia e biologia).
  • Viabilização de estruturas para estabelecer comunicação com outras áreas.
  • Manutenção de um sistema de radiocomunicação e internet.
  • Apoio à fiscalização feita pela Polícia Militar Ambiental sobre atividades ilícitas em áreas remotas e fronteiriças.
  • Atendimento de denúncias de: desmatamento ilegal, apreensão de pescado, extração e contrabando de pedras semipreciosas, tráfico de drogas e armas, combate à caça e ao tráfico de animais silvestres.
  • Abrigo aos esquadrões da brigada federal do PrevFogo/Ibama.
  • Apoio para ação de forma rápida no caso da ignição de incêndios florestais.
  • Apoio com equipamentos de combate a incêndio, trilhas para alcançar com maior facilidade os focos de incêndio em morros e barco disponível.
  • Ações pontuais de várias naturezas com a finalidade de prevenir e corrigir danos causados ao meio ambiente.
  • Projeto Cabeceiras e Projeto Corredor Penha/EEB.

 

Ações da Rede:

Território da Rede:

 

 

Colaboram com este projeto (2018):

  • Parceiros Membros: Parque Nacional do Pantanal Matogrossense, Fundação Ecotrópica, Instituto Homem Pantaneiro, RPPN Engenheiro Eliezer Batista, Fazenda Santa Tereza, Acaia Pantanal.
  • Parceiros Apoiadores: ICMBio – Instituto Chico Mendes MMA, 2ª Companhia de Polícia Militar Ambiental, Fundação Panthera, IBAMA, REPAMS, CNRPPN, Fundação Grupo Boticário.
  • Parceiros Investidores: Grupo de Pessoas Físicas

Veja aqui quem são nossos parceiros

 

 

Instituto Homem Pantaneiro © 2015.